Carne Angus traz benefícios para saúde, segundo pesquisa da USP

A carne de novilhas filhas do cruzamento entre bovinos das raças Angus e Nelore, possui propriedades benéficas para a saúde. É o que afirma uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP).

As fêmeas, chamadas de F1, é a mais utilizada pela indústria que abastece o mercado de carnes primes, a exemplo da VPJ Alimentos.

Segundo a pesquisadora Lenise Freitas Mueller da Silveira, novilhas cruza angus acumulam mais gordura corporal e podem ser abatidas muito jovens. E em alguns casos excepcionais, o animal é encaminhado ao frigorífico com apenas 16 meses de idade.

A pesquisa concluiu que a carne angus possui ácido oleico – um ácido graxo que ajuda a manter os níveis de colesterol sanguíneo. Também possui ácido linoleico conjugado (CLA) – que reduz carcinogênese e aterosclerose, além de prevenir diabetes e aumentar o desenvolvimento muscular.

Lenise descobriu que a carne produzida pela VPJ Alimentos apresenta uma menor relação entre ômega 6 e ômega 3, cuja recomendação médica é de 4:1. “Pensando em boa deposição de gordura e em um produto que não prejudique a saúde, o uso de fêmeas jovens provenientes do cruzamento entre Angus e Nelore é mais indicado”, explica a pesquisadora.

A carne angus produzida pela VPJ Alimentos possui certificação emitida pelo Programa Carne Angus Certificada da Associação Brasileira de Angus (ABA). A empresa também é pioneira quando se fala em qualidade de carne, sendo a primeira a estampar em seus produtos o Selo Angus Gold, certificação que utiliza padrões norte-americanos considerando grau de marmoreio e pH.